24 de fev de 2010

IDOLATRIA MUSICAL

Idolatria musical, uma adoração vazia.

Outro fato em nossos dias é a idolatria musical. E pasmem! Às vezes me convencem os cantores que parecem gostar disso. Estes fazem shows para “glória de Deus”, movem multidões que pagam; contudo, a glória parece ser oferecida a eles mesmos, pois satisfazem seu ego de melhor cantor, recebem dinheiro, e prêmios, são famados. E Deus?

Porque o foco é desviado?
Quem deve ser adorado?
Não sou contra o cantor ganhar pelo que faz, afinal, digno é o trabalhador do seu salário. Também acredito na sinceridade de muitos que usam o louvor para adorar de fato a Deus. Quero enfatizar o fato de que tanto cantores quanto “fãs”, que por não refletirem qual deve ser o foco principal, que é glorificar Deus, entram num tipo de vácuo espiritual, anulando esse propósito singular. A música deve ser usada para expressar o quanto amamos a Deus e o quanto estamos satisfeitos pelos seus atos de amor e justiça.

Como é a adoração verdadeira?

Os chamados cantores gospel, precisam levar às pessoas o sentido real da adoração.

“Deus é espírito; e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade” (João 4.24).

Precisam incentivar as pessoas a adorarem a Deus pelos seus grandes feitos, e especialmente pelos seus atributos. Quando o cantor aparece mais do que Deus, entenda-se! O foco é desviado.

5 de fev de 2010

A FÉ GENUÍNA

A fé genuína!

Nesses dias confusos, nos quais podemos observar um desvio do que é uma fé autêntica, levando as pessoas a mendigar os farelos que caem da mesa, por não desejarem o banquete que lhes aguarda, aceitando tudo sem discernimento pela falta de conhecimento da palavra e do poder de Deus, não se contemplando assim a fé genuína, quero argumentar que esta, precisa ser:


1) Desinteressada. Temos que crer em Deus pelo que Ele é, e não pelo que Ele possa nos dar. De outra forma seria no mínimo egoísmo. Deus não aceita barganha!
Afinal, quando Deus nos amou, amou-nos sem estabelecer qualquer condição, resgatando-nos do império das trevas.

“Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco, pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores” (Romanos 5.8).

Deus não estabeleceu qualquer condição para nos amar (sendo nós ainda pecadores). Foi nesse contexto de réu, transgressor da lei que Deus nos amou.
      
2) Motivada por um quebrantamento sincero, o qual é incentivado através de culto racional. Culto racional não é culto tradicional nem fanático. É consciente, coerente e objetiva agradar a Deus e não ao homem. Nada impede o Espírito Santo de agir! Porém, eu posso ficar sem sua ação por causa das minhas convicções equivocadas e minha falta de fé.

“Invoca-me, e te responderei; anunciar-te-ei coisas grandes e ocultas, que não sabes” (Jeremias 33.3).
     

3) Não fantasiosa, Compromissada. A fé precisa ser como uma aliança entre você e Deus. Sendo assim, Deus se compromete com você na medida em que você se compromete com Ele.

”... crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua casa". (Atos 16.31)

”De fato, sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam” (Hebreus 11.6).
     
4) Sem sacrifícios físicos, real e perfeita. Deus é invisível, porém sua existência é inegável, irrefutável, podendo ser comprovada pelos seus grandes feitos na história bíblica, ou mesmo pelo seu agir na vida do ser humano transformando-o. Deus não aceita sacrifício humano.

 “... apresenteis os vossos corpos por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional” (Romanos 12.1).  

5) Conseguida por meio da obediência à Palavra de Deus. Desta forma as pessoas são desafiadas e provadas a amar a Deus pelo que ele é. Tomando como exemplo o rei Saul, que fora escolhido pelo povo Israelita, este também rejeitando a teocracia (Deus no governo), pois queriam ser como os demais reinos pagãos, que tinham um rei que os governava. Sendo assim após uma escolha pela aparência, tiveram um rei desobediente, que mais tarde ao ser desafiado falha, e perde seu reinado passando-o para Davi.  

”Porém Samuel disse: Tem porventura o Senhor tanto prazer em holocaustos e sacrifícios quanto em que se obedeça à sua Palavra?"
Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar, e o atender melhor do que a gordura de carneiros...
Visto que rejeitaste a palavra do Senhor, ele também te rejeitou a ti, para que não sejas rei.” (1 Samuel 15.22,23).

E você meu irmão tem trilhado pelo árduo caminho da fé genuína?

Se não, ainda há tempo de começar, e desfrutar das maravilhas celestiais!


                                                                                 Geoffrey.