7 de nov de 2010

A Igreja vive em amor? ou usamos máscaras que escondem nossa verdadeira face?

Este povo se aproxima de mim com a sua boca e me honra com os seus lábios, mas o seu coração está longe de mim. (Mateus 15:8)

Quem, pois, tiver bens do mundo, e, vendo o seu irmão necessitado, lhe cerrar as suas entranhas, como estará nele o amor de Deus? (I João 3:17)

Os textos aqui apresentado por si só já dizem tudo que precisa ser dito!

Contudo quero nos levar a refletir qual tem sido a nossa máscara. Seja em relação a Deus ,
"...honra com os seus lábios, mas o seu coração está longe ....";

ou em relação ao próximo,
"... tiver bens do mundo, e, vendo o seu irmão necessitado, lhe cerrar as suas entranhas..."

Será que vivemos atualmente em uma utopia religiosa? será que a expressão tão real, prática e exemplar do relacionamento da igreja primitiva está em desuso hoje? ficou fora de moda o amor? Jesus trouxe uma utopia com sua prática aqui entre nós? o natural era algo virtual?

Atualizando para o mundo de hoje, onde as pessoas vivem plugadas por causa de uma tecnologia virtualista, que alimenta um capitalismo selvagem, sem contudo haver qualquer preocupação real com o relacionamento de proximidade, de demonstração prática de afeto, de sentimento de amor entre os indivíduos; pesemos o que será da nossa geração que vive aprisionada em um quarto em frente a uma tela de computador e não mantém relacionamentos concretos e saudáveis por exemplo?

Trouxe uma refexão do natural, para enxergarmos a implicação no sobrenatural, que é inclusive nossa falta de relacionamento com Deus.
Isso tudo penso eu tem gerado falta de tempo, pois não levamos uma vida simples, descomplicada e não aprisionada pelas facilidades deste mundo.