12 de abr de 2013

A IGREJA DOS MEUS SONHOS!

A Analogia entre vida natural e espiritual 

Deus não deixou menos do que precisamos para exercermos o “ministério da reconciliação” (2coríntios 5.18) e: 

“Proclamarmos as virtudes daquele que nos chamou das trevas para sua maravilhosa luz” (1 Pedro1. 9). 

Temos o Espírito Santo, agindo no homem e por meio dele:


“... Mas vós o conheceis, pois habita convosco, e estará em vós” (João14. 17).

“Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas...” (Atos 1.8). 

Considerando toda essa estrutura divina em nós, que só pode deixar de agir, e se manter a nosso favor, por causa dos nossos pecados, quero expressar com qual igreja sonho. 

Eu sonho com uma igreja na qual seus membros não ficam em eternos berçários; nem incertos quanto ao que querem; ou cheios de si, por acharem que são auto suficientes ou vazios por pensarem que não são úteis. Para que me compreendam, vou justificar com quatro períodos pelos quais passamos, fazendo assim uma analogia da vida natural com a espiritual.     

Primeiro período 

A infância espiritual: 

Assim como o nascimento natural, é ímpar o nascimento espiritual ou novo nascimento, quando a pessoa se converte ao Senhor Jesus. Vai até a adolescência (segundo período). Nessa etapa que precisamos passar, é necessário o discipulado e a paciência com o neófito (novo na fé), que é ainda muito inexperiente para andar com as próprias pernas. É preciso dar amor, alimentá-lo com leite espiritual, que é a palavra de Deus; ele precisa de cuidados especiais, pois está se desenvolvendo, e pode tropeçar e cair.   

“Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo para que não pequeis. Se, porém, alguém pecar, temos advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo” (1João 2.1). 

Acredito que se essas necessidades não forem atendidas, teremos adolescentes raquíticos, cheios de traumas e sem um sentido em suas vidas espirituais. Acordai igrejas! Quantas vezes, por falta de entendimento claro dessas necessidades, nossas igrejas estão abrindo mais e mais a porta dos fundos para nosso infante, que está passando para a adolescência espiritual. 

Segundo período 

A adolescência espiritual: 

Nosso não mais neófito já está crescido e cheio de vigor, então acha que pode sair experimentando de tudo.

É nesse período de tantas transformações que acaba a inocência, passando a desejar mais liberdade e querer tomar suas próprias decisões.


“Tende cuidado para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo e não segundo Cristo” (Colossenses 2.8).   

Se ele foi bem discipulado, saberá decidir sobre o certo e o errado. Não se deixará levar por falsas doutrinas, nem vãs filosofias. Ele não se sentirá atraído, pois está bem enraizado nos princípios de Deus. 

“... e que desde a infância sabes as sagradas letras, que podem fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há em Cristo Jesus “(2 Timóteo 3.15). 

O apóstolo Paulo, sabia muito bem a importância de se conhecer as sagradas letras desde a infância, e enfatizou isto a Timóteo, o qual, também recebera esse ensino desde a infância. 

Terceiro período 

Adulto espiritual:

O adulto é tido como experiente, porém às vezes, pode trocar os “pés pelas mãos”. Sua experiência pode levá-lo a achar que não cairá, trazendo-lhe a “falsa ideia de estabilidade espiritual”.

Não digo que não podemos estar estáveis espiritualmente, pois que para isso é só andar no Espírito. Mas quero afirmar que a ideia de estabilidade espiritual torna-se falsa, por pensarmos que não precisamos vigiar em todo tempo, fazendo com isso, que passemos a confiar em nossos próprios esforços, deixando assim de depender integralmente do Espírito Santo. Penso que nesse sentido, não há uma real estabilidade espiritual. Quero fazer-nos lembrar da atitude do rei Davi, ou diria falta de atitude, na qual todos nós estamos sujeitos a cair, senão vigiarmos. Ele deixou de ir à guerra e ficou no palácio. Descansou suas armas. Ele estava ocioso, sem nada para fazer, enquanto passeava no terraço da casa real. Inocente passeio! Antes tivesse na batalha ajudando seus guerreiros. Um rei que deveria estar batalhando mandou outro em seu lugar. Contudo, sua maior batalha estava sendo travada em sua própria mente, quando foi despertada pela beleza de uma mulher.

(2 Samuel 11:1 a 5)
“... cada um é tentado... pela sua própria concupiscência” (Tiago 1.14).

Quarto período 

Maturidade espiritual: 

O idoso é experiente, perseverante, tem muito para ensinar. Mas pode considerar-se ou ser considerado ultrapassado, pelos líderes e demais membros das nossas igrejas. Gostaria que nossos idosos fossem vistos e tratados como os veem e tratam certas tribos indígenas, com respeito e consideração, por serem experientes na vida natural e espiritual. 

“Lembrai-vos dos vossos guias, que vos falaram a palavra de Deus e, atentando para o êxito da sua carreira, imitai-lhes a fé” (Hebreus 13.7). 

Nossos idosos não podem ser entregues aos asilos da nossa falta de visão, nem deixados no exílio do esquecimento, sua dedicação e fé para com Deus.

Quantas vezes damos importância, e estamos dispostos parar para ouvir um ancião? Seu ritmo pode até ser “lento”, pois já correu bastante, e não há tanto vigor quanto em um jovem, mas a despeito disso, ele tem a experiência que o jovem precisa adquirir, se este parar para ouvir. 

“... Todo homem seja pronto para ouvir, tardio para falar...” (Tiago 1.19). 

É duro pensarmos que há pessoas em nossas igrejas, que aceitaram para si, a mentira de que estão idosas demais para continuarem sendo úteis, e então deixam para os menos experientes a aventura de tentarem fazer algo para o qual não estavam preparados. No mínimo, encaro isso como covardia por parte de certos anciãos. Creio que se forem bem orientados naquilo para o qual podem ser úteis, nós não teremos deprimidos espirituais, por se acharem ultrapassados, ou se sentirem rejeitados. 

Eu sonho com uma igreja não “moderna”, que não está cheia do tempero do mundo mesmo vivendo nele. Sonho com uma igreja que não deixará jamais seus membros na sarjeta espiritual, pois vai ao encontro desses, e os fortalece. Que lhes dá o devido suporte para que não fiquem sendo apenas meros espectadores, ou números na lotação das igrejas.     
                                                                                             Geoffrey.

Em uma de suas pregações o Pr. Hernandes dias Lopes disse:


“Nossas igrejas estão cheias de pessoas vazias de Deus, e vazias de pessoas cheias de Deus”.

28 de jan de 2013

AS TRÁGICAS CIRCUNSTÃNCIAS DA VIDA!


Somos por vezes envolvidos nas situações que a vida nos trás. Quanta tragédia tem recaído sobre a humanidade! A dor não escolhe raça, religião, condição social. Todos estão sujeitos às circunstâncias de estar vivendo, porém, somos responsáveis e responsabilizados pelas nossas decisões. Muitas vezes estamos onde não deveríamos estar; fazemos o que não deveríamos fazer; envolvemo-nos com quem não deveríamos nos envolver. Por vezes somos vítimas, da irresponsabilidade, imaturidade, dos inconsequentes, dos que por amor ao dinheiro tornam a vida e o viver um comércio, desprezando assim o ser humano, distorcendo a ordem de valor.   

Salmos 46:1

DEUS é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia.

Salmos 119:28

A minha alma consome-se de tristeza; fortalece-me segundo a tua palavra.

Salmos 31:9

Tem misericórdia de mim, ó SENHOR, porque estou angustiado. Consumidos estão de tristeza os meus olhos, a minha alma e o meu ventre.


Meus sinceros sentimentos, e que Deus os consolem nesse momento de profunda tristeza!

Expresso a todos os familiares, amigos, e pessoas próximas, das vítimas da tragédia que aconteceu na cidade de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, na boate Kiss.

A todos da rede do facebook e outros, me ajudem a divulgar esta mensagem para que alcance o destino!!!

                                                                                                                                Geoffrey.

23 de jan de 2013

A HUMILDADE, OBEDIÊNCIA E GRANDE AMOR DO NOSSO SENHOR JESUS!


Paz e graça a todos! Hoje eu estava meditando na letra da música cantada pelo ministério Toque no Altar, e refletia sobre duas partes distintas, em duas estrofes:

“...humilde vieste à terra que criaste e por amor pobre se fez...”

Como temos que aprender a sermos humildes! Estamos mesmo dispostos a seguir os passos do mestre Jesus? Qual a ordem de prioridade na nossa vida? O quanto o ser humano, nosso próximo, é importante para nós? Você estaria disposto a deixar tudo o que é seu por amor a alguém? Que Deus nos abençoe e nos ensine a cada dia, sermos pessoas melhores!  


Filipenses 2:5-8

De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus,

Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus,

Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens;

E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz.


“Eu nunca saberei o preço dos meus pecados lá na cruz...”

Isaías 53:2-7

Porque foi subindo como renovo perante ele, e como raiz de uma terra seca; não tinha beleza nem formosura e, olhando nós para ele, não havia boa aparência nele, para que o desejássemos.

Era desprezado, e o mais rejeitado entre os homens, homem de dores, e experimentado nos trabalhos; e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos dele caso algum.

Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido.

Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.

Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho; mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniquidade de nós todos.

Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a sua boca.

Obrigado meu Deus, pelo teu grande amor a nós dispensado! Nos dê visão do teu grande amor, e que possamos ser sempre gratos, doando-nos a ti, como gratidão por teres pagado a nossa tão grande dívida, levando sobre si os nossos pecados lá na cruz! amém!

                                                                                                                                         Geoffrey

17 de jan de 2013

DEUS É UM DEUS MOTIVADOR !


Ninguém te poderá resistir, todos os dias da tua vida; como fui com Moisés, assim serei contigo; não te deixarei nem te desampararei.
Esforça-te, e tem bom ânimo; porque tu farás a este povo herdar a terra que jurei a seus pais lhes daria.
Tão-somente esforça-te e tem mui bom ânimo, para teres o cuidado de fazer conforme a toda a lei que meu servo Moisés te ordenou; dela não te desvies, nem para a direita nem para a esquerda, para que prudentemente te conduzas por onde quer que andares.
Não se aparte da tua boca o livro desta lei; antes medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme a tudo quanto nele está escrito; porque então farás prosperar o teu caminho, e serás bem sucedido.
Não to mandei eu? Esforça-te, e tem bom ânimo; não temas, nem te espantes; porque o SENHOR teu Deus é contigo, por onde quer que andares.   Josué 1:5-9

Quando na vida perdemos alguém podemos ficar como Josué. Josué perdeu Moisés ,com quem aprendeu muito, e junto de quem viu a mão poderosa de Deus. A Josué já tinha sido declarado que seria sucessor de Moisés, contudo, depois da morte deste grande homem Josué ficou como que sem ação. E agora o que vou fazer! penso que ele pensou algo assim  ante tão grande multidão de pessoas, e os desafios de lidar com aquele povo.Deus nos anima a sermos vencedores amados, ele o tempo todo nesses versículos motivava Josué.E mais Deus o motivava mantendo os olhos dele fitos nas promessa. Nunca tire os olhos das promessas de Deus ! 


                                                                                                         Geoffrey.

9 de jan de 2013

DEUS NOS AMA INCONDICIONALMENTE!




Falta de visão do reino de Deus, um problema que afeta aos cristãos!

Quando deixamos de mirar o filho que foi embora e gastou a herança dada pelo pai, e passamos a enxergar o filho que ficou, podemos perceber como nos falta visão do reino de Deus. Deus nos ama incondicionalmente e quer que amemos o próximo como a nós mesmos. A figura desse pai amoroso nessa parábola, que soube levar o filho mais velho a ver a situação com outro olhar, entendendo o valor do arrependimento do filho esbanjador, nos mostra o quanto precisamos aperfeiçoar nossa ordem de valor e termos visão do reino de Deus.

Lucas 15: 25-32
E o seu filho mais velho estava no campo; e quando veio, e chegou perto de casa, ouviu a música e as danças.
E, chamando um dos servos, perguntou-lhe que era aquilo.
E ele lhe disse: Veio teu irmão; e teu pai matou o bezerro cevado, porque o recebeu são e salvo.
Mas ele se indignou, e não queria entrar.
E saindo o pai, instava com ele. Mas, respondendo ele, disse ao pai: Eis que te sirvo há tantos anos, sem nunca transgredir o teu mandamento, e nunca me deste um cabrito para alegrar-me com os meus amigos;
Vindo, porém, este teu filho, que desperdiçou os teus bens com as meretrizes, mataste-lhe o bezerro cevado.
E ele lhe disse: Filho, tu sempre estás comigo, e todas as minhas coisas são tuas;
Mas era justo alegrarmo-nos e folgarmos, porque este teu irmão estava morto, e reviveu; e tinha-se perdido, e achou-se.